Evolução dos data centers: servidores preparados para o futuro

A saída está na TI buscar uma estratégia que resolva as demandas que existem por parte dos negócios, dos usuários e da tecnologia, mas sem adicionar complexidade e custos

29 de Abril de 2015 – 09h00

No mercado de TI tem se tornado cada vez mais comum encontrar CIOs pressionados com novas demandas e cenários, motivados não só pela antiga fórmula do “fazer mais com menos recursos”, mas também por tecnologias disruptivas e a necessidade de equilibrar o legado com as inovações. No dia-a-dia, os líderes da TI têm sido empurrados em direções conflitantes: precisam, mais do que nunca, oferecer novas capacidades para que o negócio avance, enquanto são duramente cobrados pelos usuários, os quais estão mais exigentes e querem estar conectados a qualquer hora, local e de qualquer dispositivo.

A saída está na TI buscar uma estratégia que resolva as demandas que existem por parte dos negócios, dos usuários e da tecnologia, mas sem adicionar complexidade e custos. Mais do que isso, os CIOs e suas equipes devem preocupar-se em garantir que os ambientes atuais estejam preparados para atender às demandas futuras, mesmo que elas incluam tecnologias totalmente disruptivas. A solução? Investir em arquiteturas que incorporem o conceito de Future Ready IT – ou TI Pronta para o Futuro – e na qual os servidores ganham um papel de destaque – ao lado de storage e de networking.

Mas o que são servidores Future Ready IT? São equipamentos desenhados para serem altamente escaláveis e com uma abordagem adaptada à solução. Na prática, essa nova geração de soluções preparadas para o futuro é desenhada e pensada para atender três grandes pilares que desafiam os CIOs:

  • Profundas mudanças nos ambientes: seja por conta de novas tendências – explosão do uso das mídias sociais, cloud computing, mobilidade, aumento das ameaças e data centers definidos por software; por novas responsabilidades da TI, que tem cada vez mais a função de contribuir de forma estratégica para o avanço dos negócios; e por novos modelos de TI, na medida em que o data center vive um momento de intersecção entre o novo e o tradicional (legado), o que exige soluções preparadas para lidar com ambos os cenários, de forma otimizada.
  • Abordagens extremamente flexíveis: o que demanda equipamentos preparados para acompanhar as variações das cargas de trabalho, de infraestruturas cada vez mais virtuais, da tendência de data centers definidos por software, de ambientes em cloud e de big data.
  • Infraestruturas cada vez mais inteligentes: com soluções arquitetadas para conciliar uma performance maior com custos e consumo de energia menores.

Ou seja, os velhos e bons servidores, que durante muito tempo ficaram relegados a segundo plano nas discussões sobre o futuro da TI, tem agora um papel fundamental nesse novo mundo, no qual os CIOs precisam conciliar ambientes tradicionais com tecnologias disruptivas, com menos recursos e mais responsabilidade, e, principalmente, no qual a tecnologia terá um papel fundamental para contribuir com a rapidez e a flexibilidade com que os negócios vão inovar e se adaptar às novas demandas do mercado.

E o seu data center, está preparado para o futuro?

*João Bortone é diretor de marketing da divisão de Soluções Empresariais da Dell na América Latina.
Fonte:http://computerworld.com.br/evolucao-dos-data-centers-servidores-preparados-para-o-futuro